CADASTRO     ATUAL    ANTERIORES    NOTÍCIAS     PESQUISA     PROFLETRAS

Micrologia crítica das aporias metafísicas e da modernidade na Crítica da razão cínica de Sloterdijk

Mizael José de Oliveira Filho Martins

D.O.I.: 10.13115/2236-1499.2015v1n13p122

Resumo

Evidencia-se a partir da análise da Crítica da razão cínica de Peter Sloterdijk as origens da micrologia, dando conta de uma certa análise do Esclarecimento dentro dos limites do cinismo e da moral modernos. A transgressão de limites é algo próprio do Esclarecimento, o qual segue em sua via de desmascaramentos, mesmo que por vezes ainda se enrede em questões aporéticas e sem sentido algum para a filosofia do século XXI. Em planos metaéticos, como a ação comunicativa, não se pode levar em consideração a psicologia, o agravo das questões psiquiátricas, a dissolução de blocos sócio-culturais e político-econômicos e as relações estruturais deficitárias cada vez maiores com relação a acordos entre o Oriente e o Ocidente, não há salvação na ação comunicativa sem tensão vertical.

PALAVRAS-CHAVE: Esclarecimento; micrologia; aporias metafísicas; crítica à razão moderna e à metafísica.

Abstract:

It is evident from the Critical of cynical reason analysis of Peter Sloterdijk of the origins micrology, realizing a certain analysis of Enlightenment within the limits of cynicism and moral modern. The transgression of limits is something the Enlightenment itself, which follows in its route of desmascaramentos, even if sometimes still entanglement in rational metaphysical doubt issues and meaningless to the philosophy of the XXI century. In over-ethics plans, such as communicative action, it can not take into account the psychology, the grievance of psychiatric issues, the dissolution of social-cultural and politician-economical blocs and the structural relationships deficit increasing with respect to agreements between East and the West. There is no salvation in communicative action without vertical tension.

 

KEYWORDS: Enlightenment; micrology; rational metaphysical doubt; critique of modern reason and metaphysics.


 

Texto completo:

     PDF

Referências

FOUCAULT, M. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Tradução: Salma Tannus Muchail. 9ª Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

HABERMAS, J. Modernidade versus Pós-modernidade. Arte em Revista, Ano 5, nº 7, agosto de 1983, São Paulo, S/N. Disponibilidade: http://www.consciencia.org/modernidade-versus-pos-modernidade-jurgen-habermas. Acesso em 15/12/2014.

KANT, I. Crítica da razão pura. Tadução de Valério Rohden e Udo Baldur Moosburguer. 2ª Ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

LYOTARD, J.-F. Resposta à questão: o que é o pós-moderno. Arte em Revista, Ano 5, nº 7, agosto de 1983, São Paulo, S/N. Disponibilidade  http://www.consciencia.org/resposta-a-questao-o-que-e-o-pos-moderno-jean-francois-lyotard. Acesso em 15/12/2014.

ROCCA, A. V. Peter Sloterdijk: esferas, flujos, sistemas metafísicos de inmunidad y complejidad extrahumana. Nómadas: Revista Crítica de Ciências Sociais y Jurídicas, v.17, n.1, pp. 145-149, 2008. Disponibilidade: http://revistas.ucm.es/index.php/NOMA/article/view/NOMA0808120145A/26422. Acesso em 16/12/2014.

SLOTERDIJK, P. Crítica da razão cínica. Tradução de Marco Casanova, Paulo Soethe, Maurício Mendonça Cardozo, Pedro Costa Rego e Ricardo Hiendlmayer. São Paulo: Estação Liberdade, 2012.

________. Du mußt dein Leben ändern. Über Antropotechnik. Frankfurt: Suhrkamp. In: BRÜSEKE, F. J. Uma vida de exercícios: a antropotécnica de Peter Sloterdijk. Revista Brasileira de Ciências Sociais. V.26, n.75. São Paulo, Fev. 2011, pp. 163-174. Disponibilidade http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69092011000100010 . Acesso em 08/12/2014.