CADASTRO     ATUAL    ANTERIORES    NOTÍCIAS     PESQUISA     PROFLETRAS

ALBUQUERQUE, A. S., & Tróccoli, B. T. (2004). Desenvolvimento de uma escala de bem-estar subjetivo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 20, 153-164. [Artigo] recuperado a partir de: www.scielo.br/pdf/ptp/v20n2/a08v20n2.

ALMEIDA, S. F. C. Org. (2003) Psicologia Escolar: ética e competências na formação profissional. Campinas: Alínea. [Artigo] recuperado a partir de: www.scielo.br/pdf/estpsi/v27n3/11.pdf .

BETTI, M. (1992). Ensino de primeiro e segundo graus: Educação Física para quê? Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 13 (2): 282 87.

BRASIL.  Ministério  da  Educação.  Secretaria de Educação Fundamental. Referenciais para Formação de Professores. Brasília: MEC/SEF, 1999c. 177 p.

CASTELLS, M. (2000). A sociedade em rede – a era da informação: economia, sociedade e cultura. 4.ed. São Paulo: Paz e Terra.

CSIKSZENTMIHALYI, M. (1999):“A descoberta do fluxo: a psicologia do envolvimento com a vida cotidiana”. [Livro On-line]. Recuperado a partir de: https://books.google.com.br.

________. (1992):A psicologia da felicidade. São Paulo: Saraiva.

DAMÁSIO, B. F., Melo, R. L. P., & Silva, J. P. (2013). Sentido de vida, bem-estar psicológico e qualidade de vida em professores escolares. Paidéa (Ribeirão Preto), 23(54), 73-82. Recuperado a partir de: http://dx.doi.org/10.1590/1982-43272354201309.

DELA COLETA, J.A. & Dela Coleta, M.F. (2006). Felicidade, bem estar subjetivo e comportamento acadêmico de estudantes universitários. Psicologia em Estudo, 11, 533-539. Recuperado a partir de: www.scielo.br/pdf/pe/v11n3/v11n3a08.pdf. 

DIENER, E. (2000). Subjective Well-being: The science of happiness and a proposal  for a national  index. American Pyychologist, 55, 34-43. Recuperado a partir de: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11392863.

FREIRE. J.B. (1989) Educação de corpo inteiro-teoria e prática da educação física. São Paulo : Scipione.

________. (1997). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra.

________. (1993) Professora SIM tia NÃO – Cartas a quem ousa ensinar. São Paulo, ed. Olho d'Água. [Livro On-line]. Recuperado a partir de: https://books.google.com.br.

________. (1981) Ação cultural para a liberdade .5ª ed., Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1981. [Livro On-line]. Recuperado a partir de: https://books.google.com.br.

HUIZINGA, J. (2004). Homo Ludens - O jogo como elemento da cultura. (5ª ed.) (J. P. Monteiro, Trad.). São Paulo: Perspectiva.

________. (1982) Nas sombras do amanhã: diagnóstico da enfermidade espiritual do nosso tempo. (J. P. Monteiro, Trad.). São Paulo: Saraiva, p. 37-39.

KANT, I. (1996). Sobre a Pedagogia. Tradução de Francisco Cock Fontanella. Piracicaba: Editora Unimep. Recuperado a partir de: http://www.uepg.br/formped/disciplinas/FilosofiaEducacao/Sobre%20a%20Pedagogia_Introducao_Kant.pdf.

________. (1986). Crítica da Razão Prática. Tradução de Artur Mourão. Lisboa: Edições 70. Recuperado a partir de: https://marcosfabionuva.files.wordpress.com/2011/08/crc3adtica-da-razc3a3o-prc3a1tica.pdf.

MEKSENAS, P. (1994) Sociedade, Filosofia e Educação. Edições Loyola. Recuperado a partir de: https://books.google.com.br/books.

NORRISH, J. (2015). Positive education: The Geelong Grammar School journey. Oxford: Oxford University Press. [Artigo] Recuperado a partir de: http://researchbank.acu.edu.au/fhs_pub/8147/

RODRIGUES, M. (2015). Educação emocional positiva: saber lidar com as emoções é uma importante lição. Novo Hamburgo: Sinopsys. Recuperado a partir de: https://pt.scribd.com/document/362145067/376-pdf.

SELIGMAN, M. E. P. (2011). Florescer: Uma nova compreensão sobre a natureza da felicidade e do bem-estar (C. P. Lopes, Trad.). Rio de Janeiro: Objetiva.

SELIGMAN, M. E. P.,Steen, T. A.,Park, N., & Peterson C. (2005). .Positive Psychology Progress Empirical Validation of Interventions. [Artigo] recuperado a partir de: http://www.psykologtidsskriftet.no/pdf/2005/